O Sentimento de Raiva é um problema para você?

19.10.2016

A raiva é um problema especial para muitos depressivos.

 

 

 

Você sabe lidar e reagir a essa emoção no seu dia a dia?

 

O que mais gera raiva em você?

 

"O que mais gera raiva dentro de uma pessoa é o sentimento de impotência frente à falha em querer controlar uma pessoa, uma situação ou a si mesmo".

 

Os depressivos apesar de sentirem raiva a ponto de sentirem-se transtornado e dizendo não ter controle sobre a mesma, mesmo assim, eles têm consciência do que estão fazendo. Mas estão conscientes de um sentimento de estranheza do mundo. Observam a vida real por de traz de um vitro, e enquanto observam desencadeiam sentimentos amargos e profundos, desenvolvendo feridas emocionais. Ao mesmo tempo sentem que é por sua própria culpa que se sente assim, sabem e imaginam que só poderiam escolher se lançar no meio da vida e vivê-la naturalmente como as outras pessoas vivem.

 

Então sentem muita raiva consciente e ou inconscientemente. Às vezes percebem e às vezes não percebem e acham não ter o direito de sentir raiva. Esse sentimento pode se tornar um ciclo vicioso. Ao sentir repetitivamente raiva o inconsciente pode ligar o piloto automático desse sentimento e na medida em que vai sentindo vai “psicossomatizando” e assim dificulta a pessoa de identificar o que está sentindo.

 

Quando um fator específico acontece o depressivo se autoacusa sem saber diferenciar que pode sentir raiva diante do ocorrido. Não sabe diferenciar. Constantemente não se valoriza e quase sempre termina em não fazer nada além de “deixar os outros loucos”.

 

Usam algumas defesas contra a percepção da raiva, como agressão passiva, e torna os outros zangados contra ele mesmo. Com essa atitude se acha superior em relação ao outro. Como consequência dessa agressividade provoca sentimentos de culpa e torna o depressivo com espírito de autossacrifício.

 

Absorve o mau tratamento dos outros como se fosse o seu dever, e vão acumulando em seu interior sofrimentos que não são deles por causa do sentimento de culpa e autopunição, mas, quando menos espera explode como um vulcão e joga lava para tudo quanto é lado e depois não consegue mais reverter o estrago que fez. Se fizer isso com frequência, consegue uma reputação de pessoa difícil ou louca e as pessoas começam se afastar e evitar a sua companhia.

 

Está gostando da matéria? Então vai gostar ainda mais deste E-book preparado especialmente para você

Quero o E-book 


 

É importante lembrar que a raiva é uma emoção como tantas outras e é natural do ser humano sentir raiva. Ela não é nem boa e nem ruim em si, é somente uma resposta inconsciente que é emitida quando alguém ou algo nos perturba.

 

A raiva pode ser usada para muitas coisas boas. Como por exemplo: Pode ser sentido no desejo de justiça, de querer corrigir erros; o que é assustador e ruim é sentir como se ela pudesse fazer desaparecer você.

 

Mas, existe um mito sobre a raiva, porque poucas pessoas realmente perdem completamente o controle sobre a raiva. Exemplo: A filha agride e bate na mãe e diz palavras com esse efeito: “Não pude evitar. Ela me tirou do sério e então eu não sabia o que estava fazendo. Estou arrependida de ter batido nela, mas perdi o controle”. Mas normalmente ela não perde o controle, só bateu na outra pessoa até sentir que ganhou a disputa. A raiva é um desejo de ter controle de tudo, suas raízes estão fincadas em apenas uma vontade, muito presente, a de tudo controlar.

 

Isso faz a raivosa se sentir bem e se desculpa por levar a briga adiante até o oponente ser humilhado. Diz estar com tanta raiva que perdeu o controle como uma desculpa. Teve o controle sim, mas ainda assim fez algo vergonhoso.

 

Então, quando esta onda furiosa vai embora, sobram a vergonha, o mal-estar, as consequências, afastamentos, objetos quebrados, relacionamentos desfeitos, acidentes e uma sensação muito grande de arrependimento.

 

O que mais gera raiva dentro da pessoa é o sentimento de impotência frente à falha em controlar uma pessoa, uma situação ou a si mesmos. 

 

Por isso, quando sentir raiva, pergunte-se: "o que estou querendo controlar?" e aceite que não cabe a você dominar a situação ou quem quer que seja. Tente se adaptar relaxe e encontre outras formas de resolver o que precisa.

 

Não podemos escapar da raiva, mas podemos amansa-la, viver com ela, e torna-la segura. Até mesmo usa-la para fins produtivos.

 

Confira algumas dicas:

 

- Aceite que você pode sentir raiva e que é natural dos seres humanos.

- Não queira ter controle sobre as coisas e os outros.

- Pratique comunicação e comportamento assertivos.

- Não ferre as pessoas importantes para você.

- Não se sinta melancólico e isolado.

 

Fontes:

 

http://www.personare.com.br/compreendendo-o-sentimento-de-raiva-m106

 

O’Connor, Vencendo a Depressão; tradução: Jeanne Rangel. – Curitiba, PR: Editora Nossa Cultura, 2011.

 

 

Please reload

Profissional de Terapia Holística, Parapsicóloga Alice Follmann

Sou palestrante, parapsicóloga...

Sobre Alice Follmann
Receba atualizações

Você receberá um e-mail para confirmação!

Posts Destacados

COMPREENDA OS 4 ELEMENTOS DA MUDANÇA COM INTENÇÃO DE REPROGRAMAR PARA O PROPÓSITO DE PROSPERIDADE: - O que você escutava quando criança?

25.09.2020

1/3
Please reload

Posts Recentes
Please reload

Siga
  • Facebook Black Round
  • Twitter Black Round
  • YouTube - Black Circle
Procure pelos Tags
Please reload

EbooK Gratuito Em busca da vida 4 Passos para superar a Depressão

© 2015 criado com Wix.com

Rua Marechal Castelo Branco, 98 - Missal /PR 

 

Todos os direitos reservados à Alice Follman - O Estudo da Mente