Vivendo a dor da Depressão

17.03.2016

 

Está doendo!  E como dói!

 

Se você está passando por uma depressão, você sabe do que estou falando, de quanto dói. São dores no corpo inteiro e dores emocionais, da alma.

 

E se você venceu a depressão quero-te dizer que pode se considerar um grande gigante por ter reagido e superado toda esta turbulência.

 

Uma dica importante é: aceitar a depressão, não precisa ter vergonha, você não tem culpa por ter caído nesse sofrimento, isso que desencadeou veio acontecendo aos poucos, foi entrando em sua vida de mansinho, e você não percebeu o que estava acontecendo e agora criou esta dimensão.

 

É como uma cebola, inicia ao meio e conforme as coisas vão acontecendo vai criando camadas e a cebola vai se tornado maior, a depressão é mais ou menos assim também. São tristezas, frustrações, adversidades e dificuldades que vão somando e se sobrepondo os sofrimentos e as emoções negativas, psicossomátizamos até um ponto que não damos mais conta de aguentar. O sofrimento é tamanho que caímos no fundo do poço e não vemos mais saída, tudo fica escuro, sem luz, sem visão, sem força e energia.

 

A segunda dica que eu te dou: procure um amigo (a) dá tua confiança com quem você pode expressar o que você está sentindo, isso te ajudará e te aliviará muito, antes de chegar ao perigo extremo da violência contra si mesmo, se culpando, autoflagelando ou se martirizando. A libertação está muitas vezes na fala, falando se libertamos de muitos males e de doenças psíquicas, não pense que você aguenta tudo no silêncio, nós somos seres sociáveis precisamos dos outros e o outros de nós.

 

Não é só você, que está passando ou quem passou por um depressão que sabe como é, sei muito bem que é muito mais sofrido do que sente quem não passa por isso. Por exemplo, às vezes sentimos momentos de melancolia, tristeza, frustração, fadiga, que é natural e fazem parte da vida de cada ser humano. Só que depressão é umas dez vezes mais sofrido, porque estes sofrimentos se estendem e prolongam no decorrer dos dias, semanas, meses e às vezes anos.

 

Ainda falando de melancolia e depressão eles parecem idênticos, a diferença é que a melancolia vem e sai rápido de novo e a depressão permanece e precisa de tratamento. Então preste atenção como os seus estados emocionais reagem, se prolongou busque imediatamente ajuda, no mundo de hoje em dia tem solução para tudo, não fique sofrendo.

 

Sabemos e temos que entender que a depressão não é uma dor ou uma doença localizada numa parte do corpo, ela toma conta da “Pessoa Inteira”, afeta o seu corpo, os sentimentos, os pensamentos e o comportamento. Faz você se sentir sem força, sem energia, sem prazer e sem alegria.

 

Mais uma vez eu peço busque ajuda, tem tantos profissionais preparados esperando para te ajudar, e eles te ajudam com maior carinho, eu tenho certeza disso.

 

As vezes por ignorância muitas pessoa veem a depressão como um defeito de caráter, uma manha ou frescura, não entendem que o que está acontecendo é uma doença ou uma disfunção emocional. E o mais triste ainda é que apenas a metade dos casos de depressão é diagnosticada corretamente e recebem o devido tratamento.

 

Então como eu falei na matéria Como identificar os sintomas da depressão.  Nós mesmos podemos ficar atentos em nossos estados emocionais e identificá-los, já fazer algo para se manter com saúde e vitalidade. Quando sentimos uma tristeza prolongada, falta de bom humor e sem prazer em nada na vida, tudo parece apagado sem cor, triste é por que estamos em depressão.

 

Muitos confundem como se o oposto da depressão, melancolia, tristeza e mágoa fosse a felicidade. E não é. O oposto da depressão é vitalidade, que é a capacidade de sabermos lidar com todos os tipos de emoções, tanto os negativos quanto os positivos.

 

Há tantas dores e sofrimentos envoltos a depressão, muito além de como se fosse perder um ente querido. Por isso eu repito umas dez vezes mais. Dores no corpo inteiro, em todas as juntas, sem força de ficar em pé. Sem vontade de comer, a comida não tem gosto, não tem sabor é sem graça. A natureza não tem mais cor e nem brilho, as pessoas não são mais interessantes. Os assuntos não tem mais graça, tudo tanto faz, lazer, trabalho, sexo, desistem de tudo, sentindo-se muito cansada(o), tensos ou amargos para participar da dinâmica da vida.

 

Diga-me quantas vezes você se sentiu um estorvo, improdutivo, incapaz?

 

Com a autoestima lá embaixo, sem esperança, com sentimento de culpa e incapaz, vê o fim de tudo. Até achando que não merece nada de bom ou de melhor.

 

Achando que não vale nada e que tudo acabou?

 

Não pense isso de você, diante de Deus o “milionário” e o “andarilho” de rua vale a mesma coisa, você tem valores, virtudes e qualidades. Somente estão debilitados, e podem ser recuperados. Acredite em você.

 

Dizer ainda que os distúrbios do sono são os principais sintomas entre o “turbilhão” de sintomas que você sente e passa que te levou e te leva à fadiga, ao afastamento da alegria, da energia e da dificuldade de ter pensamentos claros. Precisamos descansar, ao invés de ficar brigando com o sono e ficar cada vez mais tensos e estressados.

 

Existem técnicas de respiração e relaxamento muscular que ajudam para dormir. Fazendo e aplicando estas técnicas o sono vem automaticamente sem precisarmos ficar brigando com o sono.

 

Sem falar dos pensamentos e impulsos suicidas, que muitas vezes passam pela cabeça, e que são dos mais diversos possíveis. Fiquei sabendo pelas pesquisas que 15% das pessoas que estão em depressão se matam. Isso me deixou preocupada e triste em não poder ajudar mais, só por que as pessoas tem preconceito e vergonha de buscar ajuda, ou não são entendidas e compreendidas.

 

Vamos prestar atenção e estar junto com a pessoa que está sofrendo desse mal porque cada vez mais os pensamentos de tirar a própria vida ficam aterrorizando a mente do depressivo, isso é muito dolorido, impulsos repetidamente atormentam a alma, ninguém merece.

 

O impulso de sair correndo se jogar debaixo de um caminhão, pagar uma corda e se enforcar, injetar veneno, tomar overdose de comprimidos, é incrivelmente comum. Você tem esse tormento, mas não fala por vergonha e medo de não ser compreendido. Poucas pessoas realmente se sentem a vontade de falar para outro o que se passa na mente, fica vagando na tristeza, sem outras emoções.

 

Existem os que buscam no álcool e nas outras drogas o alívio da depressão, sendo que o próprio álcool e a droga são elementos que levam a depressão e assim não vendo outra saída se encolhem em si se enclausuram no mundinho da bebida e da droga, e se isolam para “levar” a sua vida.

A depressão pode estar entrando aos poucos em sua vida como um copo vazio debaixo da torneira vai pingando de vez em quando uma gota e um dia enche, e quando a agua está na borda, cai mais uma gota aí ela derrama. Em nós é assim também, cada vez que sentimos uma tristeza, uma inconformação, uma decepção e nós guardamos dentro de nós. E isso vai nos sufocando até que não aguentamos mais.

 

Por isso as vesses a depressão não é fácil de ser reconhecida, ela vem aos poucos e vivenciamos como algo que deve ser superado, porque são pequenas tristezas, pequenas decepções, e assim vai.  Muitas vezes a depressão vai se tornando gradualmente parte do nosso ser, a gente nem percebe que aos poucos vai criando uma dimensão grande até que caímos. A gente vai vivendo e nem se lembra, e nem imagina que pode viver com alegria e leveza além do estado depressivo. E vai vivendo dessa forma. Vamos nos cuidar, assim não dá.

 

Esta matéria te ajudou? Cadastre-se agora gratuitamente e receba em seu email avisos de novas matérias sobre o assunto.

A vida se torna depressiva

 

A depressão causa um sofrimento muito grande, muita dor, dores no corpo e na alma. Nos enfraquece, perdemos o vigor, a foça, aí fica difícil a gente se recuperar diante do mundo. Faz com que vemos a vida e o mundo de modo distorcido, diferente do que os que não sabem e nem sentiram o que é depressão.

 

Vêm os pensamentos de incapacidade de viver a vida do nosso jeito. Sempre achando que somos uma ameaça ou um estorvo para os outros. Não vemos coisas boas, somente coisas ruins, não acreditamos em mudanças, pensamos negativo. Somos incapazes de expressar as nossas próprias necessidades, nossos desejos e nossas vontades.

 

Quando os outros não concordam com as nossas ideias imediatamente nos sentimos rejeitados. Somos muito ansiosos, não sabemos nos apresentar. Sentimo-nos no escuro em relação às emoções humanas. Não sabemos o que é nos sentir normal, temos medo que o nosso sentimento honesto nos afaste dos outros ou provoquem rejeição por eles.

 

Aprendemos a “ser mais do que capaz de lidar com a depressão”. Negamos ou criamos uma farsa dos nossos sentimentos, colocamos uma aparência falsa para o mundo, ficamos satisfeitos com menos, não pensamos em crescer, falamos “se eu tiver uma casa, um carro e uma renda fixa que de para viver já está bom”. Não pensamos em evoluir. Criamos um mundo de depressão, de tristeza e falta de esperança, de autossabotamento, letárgico, estagnados, isolados a entrar num estado de produção, em que o mundo é resumido somente em nós.

 

O que quer dizer; “ser mais do que capaz de lidar com a depressão”?  Quando estamos em depressão a gente trabalha mais duro na vida que os demais, ficamos mais severos com nós mesmos, achamos que podemos resolver tudo sozinho ao invés de delegar funções. Porém este esforço traz pouca alegria. Mesmo o trabalho árduo não trazendo muita alegria, tornamo-nos muito bom em certas habilidades.

 

Assim como os levantadores de peso, se super adaptam e desenvolvem habilidades que só servem para elas se manterem e tocar a vida, mas muitas vezes tornam as coisas piores. Passam a vida assim, instalam um rosto feliz para poder manter uma farsa dos seus sentimentos.

 

Com estas matérias quero mostrar a problemática e também mostrar que podemos reparar e restaurar a nós mesmos, aprendendo novos modos de pensar, sentir e agir, e transformar atitudes e comportamentos negativos em autoconstrutivos.

 

Sei que de início pode parecer forçados e artificiais, como se a mudança não aconteceria, mas quando tentamos novas competências, com repetição podem se tornar hábitos, substituindo os velhos e negativos modos de ser, por novas habilidades e competências positivas.

 

E a medita que fazemos isso, as expectativas e percepções mudarão. Deixando de lado a forma de pensar “para mim nada da certo”, “para os outros tudo é fácil”, para “também sou capaz, vai dar certo”.

 

Há muitas terapias e técnicas novas na humanidade e que são bem estimulantes que podemos fazer para reprogramar nosso inconsciente, sobrepondo fatores positivos encima de negativos.  Criando novas habilidades dando mais atenção a nós mesmos de modo cuidadoso e não crítico negativo.

 

À medida que vamos praticando novas habilidades elas se tornam mais fáceis e naturais. E a alegria de viver volta.

Cadastre-se e receba toda semana novas matérias em seu e-mail.

Fontes: O’Connor, Richard. Vencendo a depressão, 2011.

           - Schimitt, Afonso Carlos. Um Novo jeito de vencer a depressão, 2008.

           - Kramer, Peter D. Enfrente a depressão, 2007.

 

Assista também ao vídeo: Vivendo a dor da depressão

 

 

Compartilhe esta matéria e me ajude a levar ajuda a quem precisa.

 

Please reload

Profissional de Terapia Holística, Parapsicóloga Alice Follmann

Sou palestrante, parapsicóloga...

Sobre Alice Follmann
Receba atualizações

Você receberá um e-mail para confirmação!

Posts Destacados

COMPREENDA OS 4 ELEMENTOS DA MUDANÇA COM INTENÇÃO DE REPROGRAMAR PARA O PROPÓSITO DE PROSPERIDADE: - O que você escutava quando criança?

25.09.2020

1/3
Please reload

Posts Recentes
Please reload

Siga
  • Facebook Black Round
  • Twitter Black Round
  • YouTube - Black Circle
Procure pelos Tags
Please reload

EbooK Gratuito Em busca da vida 4 Passos para superar a Depressão

© 2015 criado com Wix.com

Rua Marechal Castelo Branco, 98 - Missal /PR 

 

Todos os direitos reservados à Alice Follman - O Estudo da Mente